Beleza das coisas…

Fala Adamastor! Não, eu não falei que a arrumação tá feia. Só coloquei um título nessa conversa. Não! O boteco tá arrumadinho sim. Não precisa achar que toda conversa que eu começo é uma ofensa a você. Que garçom mais sentimental… hehehehe!

Enfim, há algum tempo eu venho pensando em coisas belas, em beleza. Sei lá, sempre foi um assunto que me cativou. Não a beleza em si, mas sim o que determina que algo seja belo. Como sabemos, com razoável precisão, o que é belo e o que é feio?

Falar que comparamos a um padrão de beleza interno ou que são definidas pelas condições externas como família, condição social, meio cultural, etc, me parece muito vago. Sei lá, esse assunto sempre me pareceu mais profundo do que parece.

Esta semana pensei: “Por que de repente achamos algo belo?” Sei lá, foi um pensamento no ônibus lotado, mas a partir daí comecei a reparar. Sempre temos uma tendência a definir a beleza das coisas. Dizer se algo é ou não belo. E na maioria das vezes, as pessoas se prendem à beleza para definir se vão comprar algo, se vão fazer alguma coisa ou se simplesmente vão prender sua vida a alguém.

No entanto, por mais mesquinho e superficial que isto possa parecer, todos os dias, todo mundo tenta se vestir de forma bela, tenta se apresentar da forma mais bonita do mundo. Escodemos isto por debaixo do simples fato de tentarmos “dar o nosso melhor”, ou “mostrar o nosso melhor”, quando na realidade isto significa querer se apresentar de forma bela. Não está errado, mas dizer que não faz isto é imoral.

De uma forma ou de outra, a beleza praticamente guia a nossa vida. Entretanto, creio que a beleza seja algo que vá se moldando a medida que temos experiências ao longo da vida. A medida que vivemos situações e experiências, a beleza vai tomando forma em nossas vidas. Descobri que a beleza está presente em tudo: tudo é belo a seu jeito.

No entanto, quando dizemos que algo é menos belo que outro, estamos apenas projetando no objeto uma predileção pessoal de forma inconsciente. Talvez, por isso que quando estamos apaixonados, dizemos que a pessoa mais bela é a nossa musa. Na realidade, temos uma predisposição enorme para afirmar “ela é a mais bonita”.

Por isso, acho que na verdade só amadureci aquilo que já sabia: “a beleza está nos olhos de quem vê”. E quando vemos coisas belas, a vida se enche de alegrias!

Que foi Adamastor? Cadê aquela morena de olhos verdes que estava sempre comigo? Sei lá onde ela está! Você o quê? Acha ela bonita e quer chamar ela pra sair? Adamastor!

Beijos&Abraços, Nando.

Anúncios

2 Respostas para “Beleza das coisas…

  1. Felipe Augusto

    A beleza depende de como estão os filtros dos nossos sentidos. Conforme a intensidade do fluxo de beleza que consegue atravessar os nossos filtros sentimos as coisas de uma forma diferente. Digo sentimos porque a beleza está além visão. Existe beleza no sabor, no calor, no cheiro, na textura, no som, na visão e é claro existe muita beleza nos nossos sentimentos.

  2. Gerivaldo Oliveira

    Caraca! Ambos inspirados!

    Abraçuuuu!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s