Curriculum Vitae

Nesses últimos dias, estava ajudando a minha amiga a melhorar o curriculum vitae dela (famoso CV ou currículo no meio profissional), colocando as suas experiências de forma mais clara e concisa. Sabe como é, coloca isto de tal forma, daquele emprego reforça essa qualidade, além de todas as artimanhas e palabras bonitas que usamos para nos descrever a estranhos. Sabe como é, reforçar aquilo que achamos que temos de melhor.

Pensei por fim, um CV realmente facilita a vida de um recrutador, e um CV mal feito pode representar a perda de algumas oportunidades. Mas se CV siginifica, do latim, trajetória de vida, será que de repente não seria legal utilizarmos algo como um CV do amor?

Ok, pode ser meio viagem, mas não seria muito interessante enviar currículos para pretensão de namoros. Imagino, seria algo legal receber currículos com a identificação da pessoa, dizendo como foi de fato a sua trajetória de vida, até porque a minha vida fora do ambiente profissional é bem maior do que dentro dele, e quais as suas experiências. Imagino que a coisa seria mais ou menos assim:
(Observação: fatos fictícios ou não, aumentados ou diminuídos para dar um efeito comico-trágico, sem qualquer intenção de magoar ou expor)

Nome: Nando
Aniversário: 12/fev/1986
Contatos: meu celular, meu telefone de casa, e-mail…
Altura: 1,70 m (por que altura faz diferença? enfim…)
Peso: 74 kg (se a balança do banheiro estiver certa…)

Qualificações: Dedicado, bon-vivant, amigo pra todas as horas, filósofo e chato de plantão. Meio cafajeste, meio romantico. Quando me apaixono, meu mundo cai literalmente.
Hobbies: Escotismo, corrida e manter o Botequim Virtual aberto. Fazer música e poesias tem sido meio sazonal nos últimos tempos.
Experiência “profissional”: K (nome fantasia) – duração 3 meses quando tinha 16 anos – Dedicação total. Acabou numa briga tola.
K (outra) – duração 2 meses quando tinha 17 anos – Dedicação total. Era caído por ela, desde antes. Acabou no clássico papo “não é você, sou eu”.
M – duração mais de 1 ano, desde meus 25 até 26 anos – Dedicação exclusiva, serviço de poemas e bilhetes especializados. Acabou só Deus sabe por quê (até porque é passado e fica só no histórico do Botequim Virtual).

Referências: Ih… Fu… Ferrou!

Acho que somente essa parte de referências que não seriam muito boas. Amigos vão te defender e te elogiar até o fim (espero!). Inimigos, o justo contrário. E as ex-namoradas a gente faz o favor de “perder” todos os telefones.

Mas acho que essa ideia não pega não. Ia ter gente mentindo na parte de objetivos dizendo que quer relacionamentos longos só pra pegar as meninas mais bonitas, e ia ter muita menina dizendo saber se divertir sem dizer que só vai pra cama depois de quase casar. Ia ser que nem nos currículos profissionais que se vê hoje em dia.

Adamastor, traz uma rodada de chopp só pra quem mandar currículo pra mim. Eu sei, ninguém vai mandar, mas não custa nada fazer uma firula de fim de post.

Beijos&Abraços, Nando.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s