Sintomatizando o Mundo

sintomaFala Adamastor! Faz tempo que eu não apareço por estas bandas. Pois é, estive passando por uns momentos complicados na família. Sabe como é, a idade vai chegando e começam os problemas dos pais e com isso a gente vai gastando tudo que a gente tinha de sobra tipo, dinheiro, tempo, dinheiro, paciência, dinheiro, boa vontade (eu já falei dinheiro?)…

Enfim, enquanto ainda não nos conformamos com o prognóstico, depois de 20 dias de coma e mais 10 dias internados, fora todo o tempo empenhado pelas acompanhantes, vejo que há uma enorme tendência de sintomatizar tudo e qualquer coisa.

Por exemplo, fui no meu médico para a consulta anual para saber se posso passar o próximo ano sem me preocupar. Saí do trabalho e fui para lá e cheguei com 15 minutos de antecedência pois acho que devemos chegar sempre um pouco antes. Eis que fico sentado, esperando ser atendido por 45 minutos, descubro que o paciente que estava agendado para depois de mim já havia sido atendido (como?) e que ele estava com um paciente que não estava agendado. Decidi que o meu compromisso não estava valendo ao médico e quando decido ir embora ele sai para me “recepcionar”. Infelizmente, reclamei com ele e fui embora, afinal, tenho outros compromisso em minha agenda.

Quando voltei para um nova consulta, eis que ele me olha e fala que o estresse pode não estar fazendo bem para o meu coração. Quer dizer, não era o atraso e falta de compromisso profissional dele, e sim a minha vida que era estressante. Sim, é mais fácil crer que o estresse é causado pelos meus afazeres do que pela minha vontade de cumprir a minha agenda, os meus horários. E o pior, ele acredita que a minha bronca era resultado do estresse e não da minha vontade de repreende-lo.

E é cada vez mais vejo isso. Parece que as pessoas só estão enxergando as outras como reflexo, sintoma ou reação a algo. Ninguém olha para a outra e a diz capaz ou com vontade de fazer algo. Pelo contrário, se gosta de algo ou é porque está na moda, ou porque é alternativo, se a pessoa é pávio curto, é estresse, se faz algo com alguém, é Maria-Vai-Com-As-Outras, senão, é tímido, isolado ou antissocial.

Enfim, não sou nem quero ser reflexo ou reação de algo, pelo contrário. Quero ser ação, causador inicial de mudanças ou ações em minha vida, em meu jeito de ser. Tenho consciencia de que não sou causador primordial para todos, mas não quero ser um mero reflexo nesse espelho da vida, um sintoma de uma doença.

Até porque, se sou assim, sou porque quero e gosto. E muito!

Adamastor, traz um mate que hoje eu to tranquilo.

Beijos&Abraços, Nando.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s