Passatempo

É Adamastor, desde pequeno eu sou um pouco revoltado com esse negócio de assistir aula.  E o pouco entra aí em favor de um texto mais tranquilo.  Já tive aulas muito produtivas, mas,  quase nunca, essa produtividade teve relação com aquilo que estava se passando ali na frente.

O hábito que reinava quando eu era menor era o de esperar uma oportunidade para fazer graça de alguma coisa. Depois, vieram as infinitas listas de planos e tarefas (incluindo aprender aquele monte de coisa no quadro). Hoje, são os desenhos que ocupam os intervalos nos quais não estou anotando o que vou ter que aprender sozinho depois. Isso sem contar o velho hábito de batucar.

É uma espécie de ócio criativo, que só existe por um motivo: existe ócio. Aulas são ineficientes. A tentativa do professor, de atingir todas aquelas pessoas com o conhecimento quase sempre é frustrada. Na ânsia de mostrar tudo, falha na missão de motivar e envolver o aluno. Surgem assim os famosos aluno de corpo presente, sempre presentes (“presente!”). Qualquer aluno focado aprende dez vezes mais em duas horas de estudo do que em duas horas de aula, as semanas de prova tão aí pra provar isso.

Eu não gostava muito de escola. A mágica aconteceu lá pelos meus 14 ou 15 anos quando eu descobri que podia aprender sozinho, bem melhor que na aula diga-se de passagem. O escotismo tem um dedo nisso, certamente. Acho que a primeira vez que eu parei pra estudar alguma coisa por vontade própria foi com o meu velho guia escoteiro. Quando liguei essa chave na escola (foi meio de repente mesmo), eu descobri novos poderes, no sentido mais puro da palavra.

O melhor método de ensino é aprender, não só por que , por definição, tem eficiência  igual a 1, mas também porque o aprendizado pela descoberta é mais profundo e  muito mais motivador. Poderia tacar alguns dados estatísticos aqui, mas espero que acreditem apenas no meu testemunho.

O que acontece normalmente, no entanto, é que alunos passam o dia em aula e tem de ser convencidos a fazer seus deveres e estudar quando chegam em casa. Qual é a motivação para isso? Perder mais tempo, ao que parece à primeira vista. São poucos os que descobrem o prazer de aprender. Muitos não tem a oportunidade porque perdem seu tempo sendo ensinados.

To falando demais já, perdendo meu tempo. Essa discussão não é para agora.

Bom Adamastor, passei só pra pegar um redbull

Vou pra casa estudar

Abraço,

badi

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s