Do trabalho voluntário…

trabalho voluntarioTrabalho voluntário: é quando você executa algum trabalho sem que haja remuneração, ganho direto ou indireto, ou gere benefícios financeiros ou vantagens. Em linhas gerais, é quando você doa o seu bem mais precioso (o tempo) em prol de uma causa, ação ou ideal, em viés cívico, cultural, educacional, científico, recreativo ou de assistência social.

No entanto, o trabalho voluntário, como qualquer outra atividade da sociedade humana, gera vínculos, expectativas e, infelizmente, decepções. Por geralmente o ambiente voluntário ser mais leve que o de um emprego formal, as pessoas se sentem mais a vontade, ao mesmo passo, que sérias más interpretações do serviço voluntário podem advir deste mesmo espaço.

Desde que me empolguei com o trabalho voluntário no escotismo, lá pelos idos de 2007, vivi situações importantes que me definiram e me auxiliaram a trilhar o meu atual rumo de vida. Além do mais, tive e tenho a oportunidade de observar comportamentos e atitudes que, de uma forma ou de outra, podem levar a ressentimentos, desavenças e mágoas. Muitas dessas observações me auxiliaram a prevenir situações e conflitos. Porém, mesmo assim, a plaquinha “eu avisei” ainda é amplamente utilizada em uma gama de situações.

Desta forma, gostaria de colocar de forma simples, as minhas observações acerca de alguns comportamentos que podem tornar o trabalho voluntário uma tarefa muito mais difícil do que realmente é. Muitas das vezes, estes comportamentos são mantidos pelos próprios membros, dificultando até a captação de novos voluntários.

1- “Este é um trabalho muito difícil!” –> Clássica queixa, seja pela dificuldade ou pelas horas gastas, uma atitude desta gera uma série de péssimas interpretações. A primeira, é de que não vale a pena gastar suas horas em uma furada. Afinal, quem é que curte fazer o trabalho pesado, sem alegrias e divertimentos? Uma atitude negativa ou muito reclamona (só eu quem faço o trabalho por aqui?) podem gerar questionamentos internos e externos. Será que vale a pena apoiar está “difícil” causa? Por este comentário, não existe recompensa por executar um bom trabalho.

2- “Você precisa dedicar mais horas para ser voluntário” –> A associação nacional inglesa do Movimento Escoteiro percebeu, em dado momento na transição do século XX para o XXI, que tempo é escasso e cada vez mais raro nos adultos. A medida que crescemos, menos tempo disponível temos para fazer o que gostamos. Parece que o tempo nos suga mais rapidamente. Março parece que foi ontem! E uma das atitudes que a associação inglesa tomou para viabilizar a participação de mais voluntários foi entender que pessoas boas normalmente estão bem ocupadas com outros compromissos. Passaram a aceitar voluntários que tivessem apenas poucas horas durante a semana, ou apenas 1 dia por mês, para se comprometer com a causa. Entenderam que qualidade supera quantidade.

3- “Você precisa respeitar a hierarquia” –> Normalmente, isto é dito por um voluntário a outro, numa tentativa de buscar o respeito. No entanto, em trabalhos voluntários, as pessoas não buscam a hierarquia como forma de satisfação pessoal. A hierarquia existe e deve ser trabalhada, porém, substituindo o autoritarismo pela liderança. Deve sim, existir um líder, alguém que anima e junta todo o time de voluntários em uma grande parceria, mas isto não significa que ele é mais que os outros, apenas possui outras responsabilidades.

4- “Eu não consigo fazer isto direito” –> Trabalhos voluntários, por natureza, não requerem habilidades especiais e diferentes das que se observam no dia a dia. Óbvio que haverá tarefas de maior ou menor afinidade, e isto não define o quanto você se envolve. Existem casos de pessoas excelentes em determinados serviços burocráticos, por exemplo, que evitam se envolver em trabalhos voluntários, enquanto outras pessoas, com menor afinidade o fazem sem reclamar. Em um trabalho voluntário, a vontade de ajudar deve vir acima de qualquer orgulho prejudicial.

5- “Aqui nós fazemos as coisas assim” –> Ok, esta é bem específica do Movimento Escoteiro. Quem nunca ouviu um adulto, normalmente em posição de liderança, dizer que as coisas são desse e não daquele jeito? Não de uma forma simples e suave, como quem te explica, orienta e quer te ajudar, mas sim da forma como quem quer dizer que ele detém a forma de conhecimento correta? Surpreendentemente, os movimentos sociais, nisto incluo o Movimento Escoteiro, não são categorizados como “movimento” à toa. Se a premissa básica é ajudar a população, seja por ajudar quem está na miséria, seja para auxiliar na educação para a paz, é importante entender que o mundo muda, a sociedade muda e as coisas mudam. Há 10 anos atrás, o melhor celular do mundo era um Nokia (tijolo) que mandava no máximo SMS. Hoje, existem diversos tipos diferentes. Imagine se formos falar das pessoas? Entender que o objetivo, a meta, serão as mesmas, mas a demanda da sociedade sempre vai mudar.

Bom, foram só 5 tópicos, porém, acho que são os principais que causam ou espelham a falta de motivação.

Adamastor, não vamos perder a motivação. Solta uma Coca-Cola geladinha que hoje está muito quente.

Beijos&Abraços, Nando.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s