Arquivo do autor:Nando

Considerações de aniversário – 8ª edição


lua

Foto da lua vista pelo meu antigo apê.

E mais um ano se passou, rápido, sorrateiro e, sem que percebesse, não consigo voltar ao ritmo de escrever para o Botequim Virtual. Não por falta de assunto e sim por falta de tempo para administrar, pensar e escrever aquilo que a vida me reserva. Triste, porém real. E cá estou eu, nos primeiros minutos do décimo segundo dia do segundo mês do ano, escrevendo as tradicionais considerações para o aniversário.

“Mas, Nando, isto significa que o seu ano foi ruim?”, você me pergunta. É claro que não! Porém, constato com o meu cansaço diário que o tempo está cada vez mais raro na minha vida. E como diz as regras da economia, quanto mais raro um recurso, mais precioso ele se torna. Logo, aprendi, de forma abrupta, a priorizar, reorganizar e, mais importante, não desperdiçar o tempo. Continuar lendo

Ilusão da Excelência


excelenciaVocê alguma vez já sentiu que você trabalha, se empenha, se esforça bastante, mas não vê nenhum reconhecimento concreto? Eu também. E isso me fez pensar bastante sobre o por quê de não ter reconhecimento ou o prestígio. Eu pensava que a culpa era minha, e pode até ser que seja, mas quando comecei a me lembrar das minhas experiências, começo a pensar que o problema são outros. Continuar lendo

Considerações de 3 décadas de aniversário…


aniversário 30 anosE chegou, de forma tranquila, despretensiosa e simples aqueles fatídico dia. Poucas vezes tem tanto significado: 15 anos, 18 anos, 24 anos (para a zueira dos homens), 30 anos e a cada 10 anos, sendo a partir do 70 uma façanha para os familiares.

Ainda estou no início do percurso, mas essa breve análise já me faz perceber que o intervalo só cresce. Imagino que a partir do centenário seja o inverso, o intervalo diminua, salvo em caso de grandes avanços da medicina e qualidade de vida. Continuar lendo

Do trabalho voluntário…


trabalho voluntarioTrabalho voluntário: é quando você executa algum trabalho sem que haja remuneração, ganho direto ou indireto, ou gere benefícios financeiros ou vantagens. Em linhas gerais, é quando você doa o seu bem mais precioso (o tempo) em prol de uma causa, ação ou ideal, em viés cívico, cultural, educacional, científico, recreativo ou de assistência social.

No entanto, o trabalho voluntário, como qualquer outra atividade da sociedade humana, gera vínculos, expectativas e, infelizmente, decepções. Por geralmente o ambiente voluntário ser mais leve que o de um emprego formal, as pessoas se sentem mais a vontade, ao mesmo passo, que sérias más interpretações do serviço voluntário podem advir deste mesmo espaço. Continuar lendo

A importância de se voluntariar por um mundo melhor…


excesso de informaçãoEm meio a tantas discussões sobre o futuro mundial, casamento gay, igualdades de gênero, fim da corrupção, erradicação da fome no mundo, ameaça de extinção de várias espécies (incluindo a humana), fica claro que a civilização ocidental, baseada no pensamento grego, permanece intacta, isto é, muitos se utilizam de sofismos para chegar a conclusões nada razoáveis. A primeira evidência da nossa imobilidade cultural, em minha humilde observação, é de que a maioria das pessoas confundiu o processo de globalização, lecionado por professores na transição do século XX para XXI, como o advento e uso da internet. Apesar da internet favorecer o processo, ela é ferramenta, parte do processo, e não o processo em si. Continuar lendo

Considerações de Aniversário – 6ª Edição


E chegou o tão aguardado dia 12! Ele veio e já está quase indo embora, e somente agora posso parar para escrever um pouco. Parar pra escrever é um eufemismo para sentado no ônibus.

Desde a última vez que escrevi sobre esse tema, posso dizer, sem sombras de dúvidas, que sou incapaz de imaginar o meu futuro. Tanta coisa já mudou, mas acho que tudo foi pra melhor. Continuar lendo

Mensagem de fim de ano…


Reveillon, fogos de artifício, ano novo. Efemeridades, ciclos, reinício. Promessas, planos, sonhos. Novidades, mais idade, menos tempo. Sei lá, este fim de ano não está com cara de fim de ano. Passei voado pelo Natal, chegou o ano novo e eu nem sei bem se quero que dezembro se vá assim tão rápido.

Parecia que era ontem que eu estava planejando a viagem pra Europa, apertando as compras e conhecendo meu novo amor. Parece que foi há poucas horas que estava decidindo mudar os rumos da minha vida e me mudar. Parece que foi há pouco que a ficha caiu e eu decidi focar no trabalho da pós-graduação. Nem parece que há três semanas a minha correria pelo grupo escoteiro era a semana toda. Continuar lendo